Google Website Translator

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Colomban Cri-cri: o inacreditável menor bimotor do mundo

O engenheiro aeronáutico francês Michel Colomban, nascido em 1932, sempre foi fascinado por aeronaves de pequeno porte. No final da década de 1950, ele tinha uma proposta de construir uma aeronave homebuild pequena e econômica, com desempenho acrobático. Sua idéia inicial era projetar um avião monoposto muito simples e leve (até 180 Kg), capaz de levar um piloto de 78 Kg de peso e 10 Kg de combustível, e equipado com um motor de 20 HP. Seus cálculos provaram que uma área de asa de 4 metros quadrados era viável.
Cri-cri com matrícula alemã. Notem a pequena envergadura
Devido aos compromissos profissionais, Colomban desenvolveu lentamente seu projeto, por mais de uma década, até chegar, em 1971, a um design definitivo. Os avanços tecnológicos dessa época permitiram vários melhoramentos em relação ao modelo antes imaginado. A nova aeronave incorporou aerofólios de perfil laminar avançados (21,7 Wortmann), de baixo arrasto, uso extensivo de composites e chapas de metal muito finas, o que permitiu uma drástica redução do peso. Essa redução do peso permitiu reduzir a área alar para apenas 3,1 metros quadrados. Colomban repensou o grupo motopropulsor e resolveu utilizar dois motores de motosserra Stihl, de 8 HP cada, ao invés de usar um único motor de 20 HP.
Essa foto, tirada debaixo de um Boeing 747, dá uma idéia do pequeno tamanho do Cri-cri
A idéia de colocar dois motores se revelou uma ótima solução, pois além de reduzir o peso total da aeronave, permitiu instalar hélices de diâmetro muito pequeno, que podiam girar, eficientemente, a altas velocidades, sem que suas pontas atingissem velocidades supersônicas. Colocados lado a lado no nariz da aeronave e bem próximas do eixo longitudinal, permitiam fácil controlabilidade em caso de falha de um deles.

A construção do primeiro protótipo consumiu 1.500 horas de trabalho, entre 1971 e 1973. Como a intenção era criar uma aeronave acrobática, Colomban executou vários testes estáticos de carga estrutural para se certificar da resistência do avião à manobras radicais.
Demonstração do baixo peso da aeronave
Colomban batizou sua nova aeronave de Cri-cri, diminutivo de cricket, apelido da sua filha. O avião tinha um peso vazio de apenas 63 Kg, 4,9 metros de envergadura e 3,9 metros de comprimento. O protótipo, designado MC-10, voou pela primeira vez em 19 de julho de 1973, no aérodromo de Guyancourt, pilotado por Robert Bush.
O "carro" dos Jetsons, que lembra o Cri-cri.
A aeronave era atraente pelo pequeno tamanho e baixo custo, mas o que chamou a atenção mesmo foi o seu espetacular desempenho acrobático. A velocidade máxima em voo nivelado era de 125 MPH, e o avião podia rolar, graças à sua pequena envergadura, a 360 graus por segundo. Também podia executar qualquer outro tipo de manobra acrobática. Seus motores de dois tempos podiam funcionar tranquilamente em manobras em G negativo. Com motores de 15 HP, podia subir 1.200 pés por minuto.
O cockpit do Cri-cri, relativamente confortável e espaçoso, para um avião tão pequeno
Os construtores amadores franceses se apaixonaram pelo pequeno avião, que lembrava vagamente o carro voador dos Jetsons, populares personagens de desenho animado da época. O homebuilders compraram os projetos e começaram a construir suas aeronaves.
Painel de instrumentos do Cri-cri. Notem a posição do tanque e as duas manetes
Os primeiro resultados obtidos pelos homebuiders, no entanto, foram frustrantes. A construção revelou-se bastante difícil, a despeito do pequeno tamanho da aeronave, e a afinação e sincronização dos dois motores deram muita dor de cabeça. Demorou uma década para Colomban "afinar" seu projeto e emitir manuais práticos de construção para os operadores, mas o avião tornou-se finalmente um sucesso total.
O Cri-cri, menor bimotor do mundo
Como era um homebuilt, os construtores experimentaram várias modificações no projeto original, principalmente no que diz respeito à motorização. Motores de kart, de aeromodelos, de motosserras e de cortadores de grama foram instalados nas aeronaves, cerca de 80 tipos diferentes. A potência desses motores ficava entre 9 a 15 HP cada um.
Desenho em corte do Cri-cri. Clique na foto para melhor resolução
Nem tudo era perfeito no Cri-cri, no entanto. Sua relativamente alta velocidade de estol (42 MPH em power-off) e a alta sensibilidade de comandos tornam a aeronave inadequada para pilotos principiantes, e a autonomia é muito baixa, pela baixa capacidade do tanque (6 galões americanos), que fica localizado logo abaixo das pernas do piloto, apoiando-as.
O Cri-cri pode ser transportado no teto de um carro grande
Até o presente, estima-se que só na França foram construídos pelo menos 100 exemplares. Cerca de 30 foram construídos nos Estados Unidos, e outros 20 devem estar espalhados pelo mundo, especialmente na Austrália, no Canadá e na Alemanha. Então, os exemplares construídos, de todos os modelos (MC-10, MC-12, MC-15 e outros) provavelmente ultrapassam 150 aeronaves.

O modelo MC-15S, de 1998, foi projetado para usar dois motores JPX PUL 212, de um cilindro, 210 cm cúbicos de cilindrada e 15 HP. Provavelmente, esse motor pode ser considerado um "padrão" para a aeronave.
Jet Cri-cri de Charmont
Pelo menos um Cri-cri foi modificado para usar dois motores a jato Olympus AMT, usados em aeromodelos de grande porte e capazes de produzir 80 libras-força de empuxo (36 N) cada um. Essa aeronave foi construída pelo francês Nicolas Charmont e é capaz de desenvolver 150 MPH em voo nivelado, 25 a mais que os melhores modelos com motor a pístão. A velocidade nunca exceder (VNE) permaneceu em 160 MPH, assim como o peso máximo de decolagem, 170 Kg. No entanto, outros dois construtores experimentaram motores a jato no Cri-cri, como Yves Duval e Bonaire Dominique. Esse último utilizou motores JetCat 200SX.
Jet Cri-cri de Bonaire Dominique
O mais recente e fascinante modelo do Cri-cri, no entanto, foi desenvolvido conjuntamente pela EADS Inovation Works, Aero Composites Saintonges e Green Cri-cri Association. Trata-se de uma aeronave movida por 4 motores elétricos brushless (sem escovas), instalados aos pares nas naceles e acionando duas hélices contra-rotativas cada par.
O Cri-cri elétrico da EADS: o menor quadrimotor do mundo
O Cri-cri elétrico, matriculado F-PRCQ, voou pela primeira vez às 11:12 da manhã do dia 28 de agosto de 2010, no Aeroporto de Le Bourget, em Paris. O piloto de provas relatou que os motores funcionam com extrema suavidade e silêncio, quando comparados aos aviões a pistão. O avião foi capaz de subir a 1.040 pés por minuto, e voltou ao solo depois de um curto voo de 7 minutos de duração. As baterias de íons de lítio permitem voar 30 minutos na velocidade econômica de 70 MPH ou 15 minutos em acrobacias, com velocidades de até 155 MPH. É a menor aeronave quadrimotora já construída.
Grupo motopropulsor elétrico da EADS: dois motores e duas hélices contra-rotativas
A EADS - European Aeronautic Defense and Space Company é um dos maiores conglomerados do ramo aeroespacial do mundo, e tem como subsidiárias as empresas Airbus e Eurocopter. A empresa está desenvolvendo vários projetos de propulsão alternativa, como biocombustível baseado em algas e um helicóptero de propulsão híbrida, além do Cri-cri totalmente elétrico.

No Brasil, existiu pelo menos um exemplar de Cri-cri voando, o PP-ZCE. Devem existir mais exemplares, completos ou incompletos. Pela legislação brasileira (RBHA 103A), essa aeronave não pode ser registrada como ultraleve, pois tem dois motores e duas hélices, e isso limita um pouco o interesse pelo avião. Segundo algumas fontes de informação, não totalmente confirmadas, o PP-ZCE usou dois motores de moto Yamaha DT-180. Sua matrícula já foi cancelada no RAB - Registro Aeronáutico Brasileiro.

Colomban ainda fornece, limitadamente, plantas para a construção do Cri-cri, mas tem se dedicado a modelos mais recentes, como o MC-100 Banbi e o MRC-01, em conunto com Christopher Robin. Mas sua obra mais notável, provavelmente, sempre será o fantástico "menor bimotor do mundo", o Cri-cri.

11 comentários:

  1. Muito interessante a história desse microavião! E eu achava o Cesnna pequeno...

    Parabéns pelo ótimo material publicado neste blog!

    ResponderExcluir
  2. O CriCri é um fantástico aviãozinho, cujo primeiro exemplar eu já vi voando no final dos anos 70, propulsionado por 2 motores de cortar grama da marca Rowenta ...
    Actualmente temos vários exemplares voando em Portugal ... É um prazer ver como as pessoas os admiram sempre que aparecem em festivais aéreos ...

    A Terceira Dimensão - Fotografia Aérea de Portugal

    Duarte Fernandes Pinto / Portugal

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde!
    Criei um blog junto com um grupo de amigos e entusiastas da aviação após muito tempo de ler por aqui,vou deixar o endereço aqui se caso o senhor queira visita-lo,agradeço desde já,post excelente como sempre

    www.cartaerea01.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de adquirir a planta de construção desta aeronave, você poderia me dar maiores informações de como conseguir? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa planta não é mais vendida, ao que eu saiba. O construtor, que detém os direitos sobre ela, recusa-se a fornecer, e construir uma cópia legal da aeronave, sem isso, pode trazer problemas judiciais muito sérios.

      Excluir
  5. A patente não tem mais validade. Pela lei de Patentes (LPI) era só de 05 anos. Quebre e construa o aviãozinho ser ter nenhum problema jurídico, em função dos seguintes fundamentos: art. 225 da LPI: “Prescreve em cinco anos a ação para reparação de dano causado ao direito de propriedade industrial”. Esse prazo afina-se com a vigente súmula 143 do Superior Tribunal de Justiça, que assim dispõe: “Prescreve em cinco anos a ação de perdas e danos pelo uso de marca comercial”. Prazo decadencial e prescricional das ações penais por ofensa ao direito de propriedade industrial.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o artigo amigo Jonas, da até vontade de construir e voar um exemplar desse. Vamos construir um?

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o artigo amigo Jonas, da até vontade de construir e voar um exemplar desse. Vamos construir um?

    ResponderExcluir
  8. Qual é a hélice que esse cri cri usou? Estou querendo fazer um pra mim.com o motor d popa 15hp c acha que é possível com esse motor. 62999229021 mim da um toque no meu zap estou facinado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também quero mais detalhes sobre ele! planta motores hélices. quem puder ajudar. agradeço!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
  9. Ola pessoal! Porque será que ninguém modificou o projeto deste maravilhoso avião para ser um monomotor? Acredito que resolveria a maioria dos problemas com a Legislação Brasileira. A princípio se ele voa com dois motores de 9hp, porque não voaria com um de 18hp pesando o mesmo? O que vcs acham?

    ResponderExcluir

Gostou do artigo??? Detestou? Dê a sua opinião sobre o mesmo.