Google Website Translator

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O estranho acidente que matou o Marechal Castello Branco

Nos últimos tempos, muitas "teorias de conspiração" ganharam fama pelo mundo, envolvendo, por exemplo, o atentado contra o World Trade Center e o Pentágono, o atentado de Lockerbie, a morte da Princesa Diana, e muitos outros mais. Mas é interessante conhecer uma dessas teorias que envolve o ex-Presidente do Brasil e Marechal Humberto de Alencar Castello Branco (foto abaixo).
Segundo a versão oficial dos fatos, o Marechal Castello Branco faleceu em um acidente aeronáutico, em uma aeronave do Governo do Estado do Ceará, um Piper Aztec (foto abaixo) matriculado PP-ETT, no dia 18 de julho de 1967. A aeronave que conduzia o ex-Presidente foi atingida na cauda pela ponta da asa de um caça da Força Aérea Brasileira, um Lockheed TF-33, perdendo a deriva. Depois de entrar em parafuso chato, o avião chocou-se com o solo e todas as pessoas a bordo morreram, com exceção do co-piloto.
Na manhã de 18 de julho, Castello Branco saiu do sítio da escritora Rachel de Queiroz, sua amiga, e decolou de Quixadá para Fortaleza a bordo do Aztec cedido pelo Governo do Ceará. Estavam a bordo do bimotor a escritora Alba Frota, o major Manuel Nepomuceno, o irmão do Marechal, Cândido Castello Branco, o comandante Celso Tinoco Chagas e o co-piloto Emílio Celso Chagas, filho do comandante. 

Desenho do TF-33 que abalroou o avião de Castello Branco
O tempo estava bom, visibilidade praticamente ilimitada e nebulosidade insignificante. O Aztec decolou do sítio de Rachel de Queiroz às 9 horas da manhã e voou em cruzeiro no nível de voo visual 055 (cinco mil e quinhentos pés). Trinta minutos depois, já durante a descida para Fortaleza, um jato de caça da FAB, um TF-33 - FAB 4325, atingiu a deriva do Aztec, decepando-a. O jato perdeu o tanque da ponta da asa, que curiosamente estava vazio, mas conseguiu retornar em segurança para sua base. O Aztec, entretanto, perdeu o controle direcional e entrou em parafuso chato, chocando-se com o solo de barriga, matando 5 das 6 pessoas a bordo, salvando-se o co-piloto Emílio Celso Chagas, que ficou, entretanto, bastante ferido.
O Aztec acidentado: houve apenas um sobrevivente
Na ocasião do acidente, houve uma investigação, que concluiu que o choque foi acidental, que ambas as aeronaves estavam em um mesmo "corredor" em direção à Fortaleza, e que teria havido, possivelmente, falha do controle de tráfego aéreo. E ficou por isso mesmo, já que o Governo Federal, naquela época, controlava tudo com "mão de ferro", censurando a imprensa e calando a oposição.

Embora a presença de caças nos céus do Ceará fossem comuns entre 1947 e 2002, o tráfego civil era respeitado e os jatos mantinham separação visual dos mesmos, como acontece até hoje. Mas o bimotor que levava Castello Branco foi atingido na deriva com uma precisão "cirúrgica", com poucos danos ao caça. As condições de visibilidade eram excelentes, dando condições ao piloto do caça, o Tenente Alfredo Malan d'Dangrogne, de avistar perfeitamente o tráfego à sua frente. Mesmo assim, ocorreu a colisão, o que despertou a suspeita, anos depois, de que não se tratava de um acidente, e sim de um atentado.

Se se tratava realmente de um atentado, qual teria sido o motivo e a quem interessaria a morte do ex-Presidente? Sobre isso não restam dúvidas, pois motivos não faltam. Castello Branco tinha deixado a presidência apenas 3 meses antes, passando o poder para o Marechal Arthur da Costa e Silva, representante da "linha dura" do Exército.

Na verdade, Castello Branco era um moderado, que assumiu o governo em um momento muito conturbado da política brasileira. Sua verdadeira intenção era devolver o governo aos civis assim que a crise que o conduziu ao poder tivesse acabado. Isso ia contra os interesses de outros generais, que tencionavam se manter no poder sob a alegação de manter a paz e e ordem pública e manter os comunistas e a esquerda "radical" longe do governo.
O mausoléu do Presidente Castello Branco, em Fortaleza/CE
Mesmo fora do governo, o Marechal Castello Branco tinha uma considerável influência no Exército Brasileiro, por ser um herói de guerra e por ter mantido a ordem pública em uma fase crítica da política brasileira. Em resumo, a presença de Castello Branco incomodava, e muito, os generais da "linha dura" que pretendiam se perpetuar no poder. E não haveria outro meio de meio desses generais se verem livres dele, senão matando-o.
Castello Branco e os generais da "linha dura" que o sucederam, Arthur da Costa e Silva e Emilio Garrastazu Médici (da esquerda para a direita)
Durante muitos anos, o co-piloto do Aztec, Emílio Chagas, acreditou na versão oficial de acidente, inclusive se encontrando com o piloto do caça que atingiu seu avião. Mas depois, passou a questionar o fato, evitando porém comprometer o piloto da FAB, já que o mesmo era ala de outro oficial, o Tenente Areal.
A operação de resgate das vítimas do acidente foi desastrosa: os oficiais e soldados da aeronáutica destroçaram o avião a machadadas e carregaram as vítimas nas costas, sem qualquer técnica. Como estas tinham danos na coluna vertebral pela posição de impacto, isso pode ter colaborado para agravar seus ferimentos.
O Aztec PP-ETT parcialmente restaurado e sem a deriva, preservado em Fortaleza
O avião acidentado foi reconstruído e parcialmente restaurado, e encontra-se hoje no quartel do 23º Batalhão de Caçadores, em Fortaleza, no Ceará. A deriva arrancada pelo caça jamais foi encontrada. O caça também foi preservado e encontra-se hoje na Base Aérea de Fortaleza, como monumento, ao lado do prédio do Comando da Base.
O FAB 4325 também foi restaurado e preservado (Foto: Escuta Aérea Fortaleza)

81 comentários:

  1. Jonas, Esse é um fato histórico muito obscuro e jamais esclarecido. Inclusive falam que o caça TF-33 que colidiu com o piper estaria estocado num dos hangares da BAFz ate hoje! Cresci com um tio meu dizendo que o F-80 que esta na frente da BAFz é que realmente colidiu com o avião do Castelo e olha que ele era militar naquela época... Valeu o artigo muito bom... abraço, Vinicius

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo isso são só suposições.
      O que se decide dentro dos gabinetes de governantes, principalmente militares é mantido em sigilo absoluto.
      Mas não deixou de ser muito estranho esse acidente

      Excluir
  2. Vinícius, o TF-33 que se chocou com o avião de Castello Branco foi preservado sim, e está exposto do lado de fora do Prédio do Comando da Base Aérea de Fortaleza. Trata-se do TF-33 FAB 4325.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em resposta ao amigos Jonas Liasch e Vinna, posso dizer tranquilamente que a aeronave envolvida no referido acidente é a que está em exposição dentro da Base Aérea de Fortaleza, o TF-33 até porque não se teria interesse em apresentar às pessoas uma aeronave que pode-se assim dizer "Matou" o então Presidente Castelo Branco, muito querido pela nação. Na parte externa da BAFZ está um F-80, que é uma versão do Caça TF-33.

      Excluir
  3. Céu claro e tudo mais sempre esta observação...Olhem pilotar um caça à reação ou mesmo um avião comum não é igual dirigir um carro.
    Num caça a reação tudo acontece muito rápido, é preciso sempre antecipar movimentos, um erro não se consegue corrigir instantaneamente, e provávelmente quando o piloto viu o pequeno avião o choque já era iminente..
    Querem ver como a coisa funciona?
    Simples: quando estiverem em um carro em alta velocidade (uns 60/80 km/h já é possível)calculem focar alguma coisa à frente uns 30 metros e vejam como tudo se aproxima rápido demais. Imaginem um T33 em descendente, plano visual restrito á frente e instrumentos, sol forte e iluminando a carlinga, de repente um ponto indefinido e o choque, ainda tentando desviar (depoimento do piloto) daí a precisão cirurgica, se não fosse a asa à atingir o pequeno avião, os dois teriam explodido no ar.
    Pensem nisso!
    Quem já pilotou avião sabe.
    Sugiro ainda refazer o acidente em um simulador de computador Flight simulator por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pelo menos seria um desfecho mais romântico, do que o cruel de m militar matando outro, do mesmo lado.

      Excluir
    2. Excelente esclarecimento. Achei essa matéria tendenciosa e suspeita... uma contradição: dizem que apenas salvou-se o co-piloto e no penúltimo parágrafo acusam os militares de terem feito resgate desastroso ... "Como estas tinham danos na coluna vertebral pela posição de impacto, isso pode ter colaborado para agravar seus ferimentos". Como???Agravar ferimentos de quem já estaria morto ??? Também o fato de citarem o avião equivocado em exposição como sendo o avião do fato em questão, mostra que não possuem domínio fidedigno das informações. Acho muito estranho essa matéria ser veiculada em momento atual ... no qual 70% da população brasileira batalha para a Intervenção Militar Constituinte.

      Excluir
    3. Mércia Radicchi, vários livros já foram escritos sobre esse assunto e essa matéria, se vc verificar, não foi escrita no momento atual, foi publicada há 7 anos. Matéria tendenciosa e suspeita, jamais, fiz como relato histórico. E, se o atual governo é um verdadeiro lixo, o governo militar não ficou muito atrás, somente o Castello Branco e o Figueiredo merecem algum respeito, os restantes enfiaram o Brasil na maior dívida da nossa história e a corrupção corria solta, mas ninguém podia falar nada, senão ia para a cadeia. Quanto à uma Intervenção Militar Constitucional, não existe isso, sugiro que leia o texto constitucional para confirmar.

      Excluir
    4. Mércia Radicchi, não sei porque não desconfiar da versão oficial construída pelo governo militar. Você já ouviu falar do caso da explosão do Rio-Centro, em 1981? Você acredita no relatório do então Coronel Job?

      Excluir
  4. Este fato histórico JAMAIS será esclarecido pois as autoridades não têm interesse em que a VERDADE à tona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo, jrastellijr. Assim como o acidente que matou JK, em 1976, esse fato histórico está destinado a ser um crime perfeito.

      Excluir
    2. Na verdade a família até hoje persiste nas investigações, e em em breve pode ser que algo seja esclarecido!!!!

      Excluir
    3. Olá senhores, há 20 anos a avó do meu esposo contava com louvor do acidente do castelo branco, cujo piloto ela dizia ser avô dele. O fato é que até hoje meu esposo nao tem conhecimento de sua familia paterna, e gostaríamos muito de ter maiores informações. danynerimao@gmail.com é meu contato

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. É normal guardar com tanto zelo os destroços de tão estranho acidente? Não parece um troféu de caça? O que se vê sempre é que os destroços somem da vista do público, rapidinho. Mas nesse caso estranho e suspeito, os aviões foram preservados. Pra quê? Parece um troféu, uma missão cumprida. Alguém conhece outro caso no qual os objetos da desgraça estejam expostos assim tão na cara de todo mundo? Alguém guardou o Cometa e o Opala do JK? E a carreta, guardaram?

      Excluir
    6. Poderia também ser consciência limpa... nada a esconder. Achei bem plausível as explicações do amigo SEULLUNGA, acima.

      Excluir
  5. essa história é muito interessante,mas,na minha opinião,isso não foi acidente,e sim um plano armado por militares da "linha dura" para matar castello branco e enfraquecer o grupo de militares moderados liderados por ele,se esse "acidente" não tivesse ocorrido,provavelmente o AI-5 jamais tivesse sido promungado e a ditadura não teria durado 21 anos

    ResponderExcluir
  6. Exatamente, Francisco, partilho da tua opinião sobre essa "acidente". Castello era um militar moderado e decente, e seu fim foi armado pela linha dura que fez tantas barbaridades no país nos anos seguintes. Obrigado pela opinião inteligente e pela visita ao blog.

    ResponderExcluir
  7. de nada,tenho uma amiga que está tentando entrar para a aeronautica,vou aconselha-la a visitar o seu blog,por que achei ele muito bom,acho que ela tambem vai gostar!

    ResponderExcluir
  8. Antes de dizerem que castello branco era perseguido pelos linha dura, lembrem-se que ele mesmo era um, tendo inclusive perseguido e fechada a panair, que chegou a ser a 2ª maior empresa aérea do mundo tendo inclusive cogitado a compra de 3 concordes, uma empresa brasileira (!). O marechal persegue e fecha uma empresa aérea de porte, e morre em um acidente aéreo...hmmm, interessante, MUITO interessante! Para mais informações, leiam o livro Pouso Forçado, de Daniel Leb Sasaki, que conta a história da panair. Um livro obrigatório pra quem gosta de aviação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Castello Branco era um "linha-dura" e foi um ditador como todos os demais, embora fosse considerado "moderado", dentro dos círculos militares. O fechamento da Panair foi apenas um dos muitos desmandos característicos do período do Governo Militar. Lembramos também que o Governo Castello-Branco "enterrou" também a Aviação Naval, que foi obrigada a entregar todas as suas aeronaves para a FAB, criando um ressentimento entre as armas que duraria anos.

      Excluir
    2. Castelo Branco foi vitima de um atentado e as autoridades do momento deveriam rever este caso para totalizar as reais consequências do fato.

      Excluir
    3. O fato de não ser da "linha dura" não desfaz o fato anterior, ou seja, dos militares e civis que protagonizaram o golpe, terem consertado o nome do Marechal para dirigir o bloco golpista e a nação. Mas, como em qualquer grupo social humano, principalmente quando trata se da política, necessariamente surgem correntes de opinião diferenciadas que podem chegar ao nível da divergência e do conflito, Houve sim uma ala mais moderada, que tinha Castelo como a expressão maior, tanto que ficou identificada como "Castelista"; e uma ala mais intransigente e sectária, que veio a ser denominada de "Medicista", em alusão a Emílio Médici, cujo governo, extremamente repressivo, ficou conhecido como o dos "anos de chumbo", conforme os historiadores do período costumam denominar, Dizem até que o próprio Costa e Silva foi vitimado por seus colegas da linha dura por pretender recuar do AI 5, mas nunca vi nada que pudesse dar mais cabimento a essa suspeita, Foi justamente no governo de um "castelista", o do General Ernesto Geisel, que lançaram se as bases da abertura política que prenunciou o retorno dos civis à direção do Estado brasileiro. Gostaria de chamar atenção para o fato de a CIA ter como uma de suas modalidades preferenciais de eliminação de desafetos e obstáculos aos seus interesses, o uso de mui convenientes acidentes aéreos.

      Excluir
  9. Não vejo nenhum problema, Seullunga. Qualquer um que seja afeito a avião, à teoria de vôo, à aviação e nem precisa ser de caça, sabe que, desde que se conheça a rota, a hora da decolagem, a velocidade média do avião a ser interceptado e estando em um avião duas vezes mais veloz pelo menos, basta decolar, aproar a rota e, em velocidade reduzida, achar "o alvo", ou seja, a aeronave interceptada. Daí, para um caça e seu piloto, isso é mole. O resto fica com a imaginação, uma curva para a esquerda e outra para a direita e um peteleco certeiro na deriva de um avião frágil em comparação com um caça. Li em outro blog que a asa direita do caça e seu tip tank estavam vazios... Porque seria? Bater com asa cheia daria explosão. Bom, mas saindo da teoria e indo para os fatos reais, sob o ponto de vista jurídico teríamos que ter: Ou uma confissão, ou um depoimento de uma testemunha, de um colega de ala ou mesmo de alguém envolvido na suposta trama. E isso certamente não acontecerá, pelo que eu imagino. Mas que do ponto de vista teórico, é possível sim um abalroamento em pleno ar com velocidade reduzida, de surpresa, por trás, sem que a outra aeronave perceba (No ar, não se escuta motores de outros aviões se aproximando, é fisicamente impossível).

    ResponderExcluir
  10. http://www.revistadehistoria.com.br/secao/capa/alem-da-versao-oficial
    "...O ex-presidente ia da fazenda da escritora e amiga Rachel de Queiroz (1910-2003), em Quixadá, para Fortaleza. Em 1991, em uma entrevista no programa “Roda Viva”, da TV Cultura, Rachel deu um depoimento que deu um banho de água fria em quem achava que o choque entre os aviões tivesse sido um atentado. Segundo ela, Castelo Branco pediu ao piloto que passasse por cima da maior linha de distribuição de energia do São Francisco para ver os postes de alta tensão. O comandante ficou indeciso, mas atendeu ao pedido. “No instante em que eles atravessaram a linha, vinha uma formação de três jatos, e a ponta de um dos jatos pegou. De forma que o atentado seria impossível, tinham que adivinhar que o Castelo ia pedir, que o comandante não iria, depois cedeu, e que o jato iria coincidir naquela hora...”, contou a escritora. O relato se baseia no testemunho do único sobrevivente do acidente: o filho de Castelo Branco..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O nome do avião é "caça", de caçar, e o do piloto, piloto de caça... radares em terra podiam dar a posição do avião de Castello Branco sem problemas. Mas como defendi acima, basta que um caça decole no mesmo momento que um monomotor decole, para rastreá-lo POR TRÁS, amigo, à BAIXA VELOCIDADE, meio cabrado... Sei que é difícil você entender pelo fato de nunca ter pilotado um avião, o que pra mim, é coisa simples. E o fato do tanque de ponta de asa estar vazio - E caças decolam com tanques cheios, afinal consomem muito, é mais uma evidência.

      Excluir
  11. Tive o privilégio de servir com o filho do major assis, que morrer na queda do avião. Hoje em dia ele também é major e seu nome de guerra é assis e está servindo em fortaleza.

    ResponderExcluir
  12. O piloto do Piper que transportava Castelo Branco simplesmente invadiu um corredor destinado exclusivamente a vetores militar em manobras operacionais. No caso as Anvs militares já estavam regressando a unidade de origem, haviam cumprido sua missão e consequentemente estavam com pouco combustível. O abalroamento foi inevitável. No mais, é cada um achando o que quiser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As cartas de navegação publicadas à época não mostravam nenhum corredor destinado exclusivamente a vetores militares, tampouco havia qualquer aviso (NOTAM) a respeito disso. As cartas estão publicadas no artigo.

      Excluir
  13. Olá Boa Noite a Todos... Primeiramente acho muito valioso e importante pra nossa história ser discutido esse assunto sobre a morte do Ex presidente Castelo Branco. Sou Piloto da Aviação Comercial e não achando o que Eu quero, mas, baseados nos meus 12 anos de experiência como piloto posso comentar com Vocês duas coisas certas; a primeira é que temos uma história Política desde a nossa descoberta muito "Suja" e "Corrupta" a segunda é que tratando se de um Piloto de caça como o próprio nome já diz tudo, recebe um treinamento específico e passa por diversas avaliações rigorozíssimas sempre lhe exigindo um alto padrão de pilotagem para obter sucesso sempre no seu tipo de missão de vôo.(ABATER).. Não estou aqui me dirigindo a pessoa do Ten Alfredo Malan o Piloto do Caça, mas, analisando o contexto de toda a história que envolvia política e poder. Fica muito difícil de acreditar que foi acidente diante de tantas coisas que nos levam a crer o contrário. Volto a dizer que não tenho nada a ver com partido ou nenhum movimento anti militarismo... Respeito o Trabalho e todos os pilotos em geral.. que por sinal tenho muitos amigos na FAB que voam Caças, Tucanos, Bandeirante (RUMBA) e em Especial ao meu primo Inspirador Cel Av do GEIV. Grande Abraço a todos e em Respeito também aos familiares do amigo Cmte Emílio Celso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Militares cumprem ordens, são pagos para isso. Os próprios militares estavam divididos, entre uma parte que desejava reorganizar o país e devolver o poder aos civis, e os da linha dura, que desejavam se perpetuar no poder.

      Excluir
  14. Claro que foi só um acidente... Como o "acidente" que matou JK ou o "suicídio" de Getúlio Vargas. Lembrem-se: Não é porque você é paranóico que eles não estão atrás de você.

    ResponderExcluir
  15. coincidencias acontecem,inclusive ,o ultimo comentario aqui foi dia 18 de agosto de 2014 dia da queda do aviao do eduardo campos. a hora do post ,quase 8 horas foi quase a mesma da queda e tao acusando , supostamente de gente da presidencia de ter derrubado o aviao do eduardo,campos.
    serà coincidencia só???? porque caiu de bico???porque sumiu as gravaçoes??? quem interesava a morte?? ele tava atrapalhando alguem no planalto??? sera que ele sabia demais??? veja que varias perguntas servem nos dois casos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nos dois casos supostamente tao acusando de atentado

      Excluir
    2. na decada de 80 eu vi os destroços num museu em que tambem tinha coisas de padre cicero e um bode famoso jà imortalizado por um taxidermista. Foi ao lado do mausoleu do castelo.

      Excluir
    3. agora moro quase na porta do inpe,cta e nunca esqueci da morte do castelo

      Excluir
    4. apoio muitas coisas dos linhas duras,inclusive eles impediram a cubanização do brasil naquela época, que foi uma coisa boa, houve exagero claro, só que era dos dois lados. nasci em 65 ,mas li e me contaram e por causa disso nunca votei em petista, nao voto em terrorista jamais. o castelo se tivesse se candidatado , talvez o brasil seria muito melhor hoje. alguem, concorda ou discorda????

      Excluir
    5. UNKNOWN,,,engano seu ,melhor seria se esta mercadoria não tivesse nascido,vingativo ,sem carater e perceguidor so ele tinha direitos e mais ninguem .Por favor se queres ver quem era esta mercadoria que tanto mal causou a nossa categoria , leia o livro POUSO FORÇADO de Daniel Leb Sasaki,,,, para mim particularmente sinto muito pela morte de um profissional competente CMTE Tinoco ,,,,, mas por esta mercadoria tenho certeza foi tarde demais devia ter ido antes de 1964 época em que começou a perseguição a PANAIR DO BRASIL em favor da Varig de seu amigo Rubem Berta

      Excluir
    6. Castelo Branco foi o maior presidente do Brasil de todos os tempos.

      Excluir
  16. A colisão ocorreu na "zona", uma área restrita ao tráfego militar. O lider da esquadrilha não tem como ver um avião abaixo dele durante a manobra de descida. O avião que colidiu, muito menos ainda, uma vez que está olhando fixadamente o avião do lider.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquisando as cartas de navegação da época, não existia nenhuma área restrita ao tráfego militar na região onde aconteceu o acidente. O avião do Castello Branco estava voando legalmente...

      Excluir
  17. Eu to chegando agora aqui, e fiquei surpreso até com o depoimento de um suposto piloto de linha aérea dizendo que acredita que foi um atentado. Ou seja que foi proposital este acidente.
    Senhores, participantes do debate, atentem para o fato que este suposto "atentado" precisaria de um planejamento logístico impensável no contexto da epóca! Ou seja muito complicado este atentado! Não seria mais fácil mandar um avião da FAB perseguir o avião do Presidente Castelo Branco logo na saída da fazenda e derrubá-lo num lugar remoto do estado? Ou isto na ida e na volta? Ou será que os jatos da FAB ficaram saracotiando ali e acolá esperando o aviãozinho passar e tirar no cara e coroa quem ia derrubá-lo? Pense negada!
    Outra coisa, o acidente do JK também foi complicado demais. Um insano chegou a falar, que passou um carro ao lado do velho opala do presidente JK e atirou na cabeça do motorista e com isso ele bateu de frente na carreta!!!!!!!!! Tákiupariu! Haviam muitos lugares antes desse do acidente, fáceis de abalroar ( no ceará é "barroar"!) e jogar o carro do presidente JK ribanceira abaixo sem ninguém ver, ou de um atirador sniper atirar a vontade! Complicado demais gente! E a comissão da inverdade acabou de admitir que foi acidente mesmo, e que o João Goulart (desenterraram o coitado prá refazer a autópsia!) morreu mesmo de ataque cardíaco !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela tua opinião, Galvan. Todavia, a probabilidade matemática de que alguém tivesse "armado" um baita esquema de acidente não é menor do que a probabilidade de ser um acidente real, e de que o tip-tank que decepou a deriva do Aztec estivesse vazio no momento do acidente. Foi um acidente muito estranho, realmente.

      Excluir
  18. Politicamente falando o atentado faz muito sentido, e não precisaria grande planejamento a medida que a força aérea da época era extremamente motivada por elementos radicais e golpistas que vinham há muito tempo tentando derrubar os governos eleitos de Getúlio Vargas e posteriormente de JK. Não esqueçam os atentados de Jacareacanga, de Aragarças e o famoso caso do Para-Sar em que o Brigadeiro João Paulo Burnier foi impedido pelo capitão Sérgio Miranda de Carvalho de realizar um dos maiores atentados terroristas que se teria no país. Ou seja, na época haviam na aeronáutica elementos de extrema direita que estavam dispostos a tudo.
    .
    Quanto ao aspecto técnico, não posso falar nada pois não entendo nada do assunto.
    .
    Só para deixar claro, não tenho nada contra aeronáutica, principalmente que meu tio foi o Primeiro-Tenente-Aviador Luís Lopes Dornelles, de quem me orgulho muito.
    .
    PS: Em alguns lugares o nome do meu tio é escrito incorretamente, o certo é Dornelles com dois eles.

    ResponderExcluir
  19. Ha me lembro muito bem deste fatídico dia não houve aula nas escolas tudo parou
    minha mãe em alto e bom som lembrou juntamente com minha avó.
    ha nao foi este presidente que retirou o feriado de São Pedro?
    minha vó respondeu foi ele sim a entendi dizendo minha mãe a agora ta tudo certo ele tirou o dia de Sao Pedro .....kkkkkk Sao Pedro agora tirou o dia dele bem pertinho pra nao ter duvidas.

    ResponderExcluir
  20. Caro Rogerio Maestri, o "velho" Opala de JK tinha uma semana de uso, e nem a ele pertencia, e sim ao motorista Geraldo, presente que fora do próprio JK. Quanto à colisão dos aviões, faço uma pergunta: o T-33 era um treinador de caça, mas com disparo de tiros; porém abater um alvo aéreo com um toque de asa não seria um risco exagerado para um piloto experiente, que dirá para um ainda em treinamento? Não estaria ele mesmo a sujeito ir ao chão antes das suas vítimas? Eu não teria coragem de cumprir uma missão dessas. Alguém aí teria, Caro JONAS?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Militares são pagos e doutrinados para correr riscos, e é claro que tal missão era muito arriscada, mas parece que o risco foi calculado, o tanque de ponta de asa estava convenientemente vazio. Quanto ao piloto ainda estar em treinamento, na ótica dos oficiais superiores, ele seria "sacrificável", ao invés de um piloto muito experiente. E militar deve cumprir ordens, não discuti-las. Claro que devemos considerar a hipótese de acidente, mas acho tão improvável quanto alguém atirar pra cima com uma pistola .45 e acertar um beija-flor que estivesse passando casualmente por cima...

      Excluir
    2. Caro JONAS: Será que o piloto seria "sacrificável" mesmo sendo filho do General Souto Malan, um "linha dura"? O tanque wingtip não tinha necessidade de estar cheio, porquanto era um simples exercício de tiro, de pouca duração, num raio não excedente a 10 km da Base. O filho do Cmte.Tinoco, de mesmo nome (Celso), uma vez me disse descrer de atentado. Disse-me também que o outro, Emilio, sobrevivente, fez carreira na VARIG, chegando a comandante de 747.

      Excluir
    3. Por favor Senhor Frank Rib, não desinforme as pessoas. O Opala em que morreu JK era 1970, portanto com 6 anos de uso.

      Excluir
  21. Maestri, desculpe. Dirigi-me, de fato, ao Galvam.

    ResponderExcluir
  22. Olá Senhores, boa tarde, 2 coisas interessantes:


    1- A "Calda" do avião caiu numa lagoa, enquanto o resto era projetado a mil e quinhentos metros de distância, num local de difícil acesso.

    2 - Conforme matéria publicada, encontra-se hoje na Base Aérea de Fortaleza, como monumento, ao lado do prédio do Comando da Base, O Lockheed TF-33, FAB 4327,
    envolvido no acidente que foi preservado.

    (http://www.defesanet.com.br/terrestre/noticia/19330/Restaurada-Aeronave-Acidente-Mal-Castello-Branco-/)

    Ocorre que o prefixo do avião envolvido no acidente tem o prefixo 4325 que é diferente de 4327...

    Por que será?

    Com a palavra ...

    Finalizando, favor olhem o que foi publicado nas redes sociais:

    https://www.facebook.com/474597176033834/photos/a.478834025610149.1073741833.474597176033834/498608410299377/?type=3&theater

    Respeitosamente,

    Cicero Costa

    ResponderExcluir
  23. Brasil teria sido melhor se em 64 fosse outro Marechal: Teixeira Lott.Tinha liderança, autoridade, era honesto, mas já tinha idade. Castelo Branco era "moderno" demais para ter sido "Presidente". Não tinha moral, era entreguista, retrógrado. Não era ladrão , mas era vingativo, mesquinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, o Brasil perdeu muito ao eleger Jânio no lugar do Marechal Lott, em 1960. A história teria sido outra...

      Excluir
  24. Eu era bem menina, mas lembro do Mar Castelo Branco e de todos os outros. Acontece que sou defensora ferrenha, dos Militares e da Era Militar, sempre afirmando que não vivíamos em uma Ditadura.
    Caramba estou tão estarrecida, quanto com nossos fatos atuais.
    Perdi o rumo, agora. Não tenho mais nada a dizer.
    Rogo a Deus que nos olhe.

    ResponderExcluir
  25. Concordo com vc BETTIIX LE NETZ,sobre o livro Pouso Forçado ;Eu particularmente acrescento essa coisa devia ter morrido antes ,pena que levou um profissional competente e um otimo pai de familia .Devia ter indo antes e levado consigo outros da mesma laia ,foi tarde demais

    ResponderExcluir
  26. Entregaram os CIVIS... E olha a MERDA que virou este país.
    #SOSFAs
    #intervencaomilitarJA
    Chega desta baderna generalizada!

    ResponderExcluir
  27. Os militares da linha dura queriam se perpetuar no poder? Então porque o Figueiredo passou o governo para o Sarney? Porque o vice presidente do Costa e Silva era um civil? Quem é o suspeito, se o Gal Médici não queria ser presidente? Eu acho que quem escreveu essa reportagem gosta muito do PT. Sim, porque sabemos como petistas agem, que o diga o finado Ceslo Daniel. Daí, como os petistas acham todos são petistas, aplicam a própria lógica para resolver o caso....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, eu, que escrevi tal artigo, simplesmente detesto o PT e minha orientação é de direita. Não acusei ninguém, levantei uma hipótese bastante plausível e já levantada por vários autores, inclusive muitos do meio militar, nos quais baseei tal artigo. Creio, Sr. Marcelo, que o sr. deveria estudar um pouco mais de história e pesquisar mais. O militares de uma determinada facção literalmente impediram o Presidente Castello-Branco de realizar eleições em 1965, como é de notório conhecimento e está nos livros de história.

      Excluir
  28. Muito Legal o Artigo , Professor Jonas Parabéns .

    ResponderExcluir
  29. Gostei do Artigo e dos comentários. Sou fiel aos Militares, acredito e confio plenamente nas FFAAs. Não tendo mais nada a declarar.Abraço.

    ResponderExcluir
  30. Tenho duas dúvidas: uma é que se a investigação concluiu que houve uma possível falha no controle de tráfego, por que não se fala nos detalhes do controle de vôo de nenhuma das aeronaves envolvidas? e outra, na época, nem sequer um avião militar possuía algum tipo de radar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Governo jamais publicou qualquer diálogo entre as aeronaves envolvidas e o controle de tráfego aéreo, daí a ausência de detalhes. No entanto, a única falha possível, nesse caso, consistiria em falha de informação de tráfego. Essa aeronave, especificamente, não era equipada com radar embarcado, assim como o Aztec PP-ETT.

      Excluir
  31. Não existe dúvidas que quem matou o Castelo Branco foram os militares da época, pois se o caça era militar, foram os militares os culpados.
    Simplesmente porque não aceitavam a falta da corrupção, pois o Castelo Branco foi o único BRASILEIRO que realmente acabou com a corrupção.
    Tenho a absoluta certeza que se não tivessem assassinado esse GRANDE HOMEM E PATRIOTA, o Brasil hoje seria outro. Um país de 1° mundo e nosso povo teria uma outra cultura.
    Por isso espero que os responsáveis por esse assassinato, estejam ardendo no inferno para sempre.
    Digo isso porque vivi e convivi nessa época, senti a mudança do comportamento dos funcionários públicos, rejeitando qualquer oferecimento de gorjetas e favorecimentos, pois sabiam que se aceitassem, não só perderiam o emprego como iriam para CADEIA.
    Quando Castelo Branco quis entregar o governo para os civis, os militares corruptos e assassinos não aceitaram.

    ResponderExcluir
  32. A verdade, jamais saberemos.
    Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  33. Aconteceu com Gertulio, com JK e Castelo branco....arquitetura da conspirão peritos em arquitetar atentados, derrubam governos, matam presidentes, derrubam aviões. E se a Dilma voltar ao governo ela vai ser a próxima vítima. E Lula nem tente se candidatar a presidente que o plano dele já está arquitetado.

    ResponderExcluir
  34. Aconteceu com Gertulio, com JK e Castelo branco....arquitetura da conspiração peritos em arquitetar atentados, derrubam governos, matam presidentes, derrubam aviões. E se a Dilma voltar ao governo ela vai ser a próxima vítima. E Lula nem tente se candidatar a presidente que o plano dele já está arquitetado.

    ResponderExcluir
  35. No dia em que eu ver uma aeronave de caça como a do acidente, acertando a deriva de uma aeronave comercial como a do acidente, eu passo a crer que foi um fatídico acidente. Outro acidente sensacional do ponto de vista de um cineasta, foi o que aconteceu entre o Legacy, e o 737 da GOL. Difícil determinar onde a cirurgia foi mais precisa. Piloto de caça é treinado para abater aeronaves, com tiros de metralhadoras ou mísseis de longo alcance, os kamikazes eram os japoneses. E mais, deixar uma cirurgia dessas nas mãos de um aprendiz.

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Radicais entre aspas. Lógico porque botar bomba em aeroporto, sequestrar um embaixador, roubar um avião e levar para Cuba, matar um tenente em um atentado com bomba, evidentemente que isso é radical de forma figurada.

      E podia ser para um lado a conspiração mas podia ser para o outro também porque a União Soviética tinha muito interesse no Brasil, isso se dá pelo fato documentado de centenas de agentes da KGB que haviam no Brasil à época, então é tudo muito nebuloso, não vamos difamar as Forças Armadas e encobrir os atos da esquerda como se fossem vítimas, não. Afinal a opinião pública a esquerda ja tinha com o regime militar brasileiro que estatizou pra caralho- e criou uma caralhada também de lei trabalhista pra foder com quem quer produzir-, em contraste com os regimes do Chile e da Argentina que privatizaram.

      Excluir
  37. Na morte de Castelo Branco, eu era universitário em Fortaleza, e sempre me interessei por História, quem abateu o avião de Castelo branco, foi o tenente Souto Malan, filho do general, Alfredo Souto Malan, da linha duríssima do exercito,O candidato de Castelo à sua sucessao era o civil Bilac Pinto, Castelo vivo era uma ameaça ao poder militar. No sepultamento de Castelo Branco, no estado da Guanabara(atual Rio de Janeiro) o seu filho, Paulo Castelo Branco, revoltado, quis fazer um pronunciamento, mais foi contido, pelos seus colegas. maiores esclarecimentos, ler Elio Gaspari, e Helio Silva

    ResponderExcluir
  38. Elio Gaspari é muito bem informado e apartidário

    ResponderExcluir
  39. Pelo visto este episódio de "atentado à Castelo Branco" é o precursor da série holywoodiana "Missão Impossível 0".
    Sou piloto privado e me parece FANTASIOSO afirmar que um piloto em um jato a reação, que deveria estar voando a uns 180kts possa MIRAR com o TIP TANK ( que esta uns 5m afastado do seu acento) uma deriva de um Apache cruzando à sua frente ( acho que cruzeiro de 100kts) , evitando passar sem colidir ou colidir na asa, fuselagem ou cone de cauda.
    Se conseguiu isto deliberadamente,merece condecoração de melhor mira de todos nos esquadrões de caça FAB.
    Não sei desta informação mas se o tenente era ala ,estava olhando para o lado do ala, não olha para a frente.
    Tip Tank vaxio, lógico, pelo tempo de voo ,se consome primeiro o combustível destes reservatórios ficando a operação final de retorno à base com a seleção dos reservatórios maiores.
    Radar de longo alcance ,já tinha em Fortaleza idos de 64 um instalado por lá?
    Infelizmente acidentes entre aeronaves em voo acontecem.

    Paulo Roberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Converse com um piloto de caça, meu caro amigo, conversei com onze deles, e nenhum considerou tal proeza inviável... Inviável seria colidir com outra aeronave acidentalmente em condições CAVOK...

      Excluir
  40. Para ver como essa história é pouco divulgada. Tenho 45 anos e nunca tinha ouvido falar desse acidente, só fiquei sabendo agora porque começamos levantar teorias aqui em casa sobre a morte do juiz Teori e meu pai falou desse caso. Nem minha mãe conhecia, achamos que meu pai estava confundindo histórias, e vim confirmar a coisa na internet. Realmente, mais um das misteriosas mortes brasileiras, como a do Ulisses Guimarães, Tancredo Neves, P.C. Farias, Celso Daniel...

    ResponderExcluir
  41. Em 1967 eu já estava com 14 anos e lembro-me muito bem que a hipóteses maior que corria na boca das pessoas era de atentado mesmo, porém acho alguns aninhos depois que está com pinta de acidente mesmo, nenhum piloto teria a coragem de assassinar um presidente da República exatamente durante a ditadura e Castelo Branco não era um democrata tão grande assim. Não teria fazer um sabotagem tão sofisticada como esta, que poderia dar errado e o próprio jato cair.
    O problema que já foram tantos assassinatos na história universal através de quedas de aviões que todos ficam desconfiando.

    ResponderExcluir
  42. Nao gostei que alguns comentaristas tentaram denegrir a imagem de Castelo Branco. Fui vizinho dele em Ipanema e conheci ele muito bem. Ele foi um grande Patriota, rígido contra qualquer tipo de corrupção e super honesto. Em um ano ele reduziu a enorme inflação drasticamente.Em um dos encontros com ele, ele me afirmou (após tres meses de presidência)que ia devolver o poder aos civis. Pensem o que querem, mas não sujem a memoria de um Grande Brasileiro!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, era um homem totalmente íntegro e honesto, acima de qualquer suspeita, e pra julgar qualquer um dos seus erros, quem é que estava na cadeira dele levando fogo de todos os lados, inclusive "amigo", e com toda a responsabilidade nas mãos?

      Excluir
  43. Sou Coronel Aviador da FAB na reserva. Servi no 1/4º Grupode Aviação de Caça. servi por 5 anos no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos ( CENIPA), lidando com incidentes e acidentes da aviação militar e civil brasileira.
    Afirmo, com segurança técnica e plena convicção, trata-se de um acidente enquadrado como " Colisão em Voo ( Mid air collision).
    A aeronave Piper Aztec , prefixo PP-ETT, em voo visual, foi atiNgida na cauda pelo "tip tanque" do caça F-33A , da Lockheed. o Caça TF-33, consta do check-list, requer a colocação de um dispositivo que alija o tanque instalado na extremidade da asa , voando abaixo de 10.000 pés ( altitude da colisão foi inferior). A missão que realizava não exigia muito combustível nos tanques externos, pela duração e proximidade do aeródromo. O Ten Mallan era estagiário e voava como ala do Cap. Av. Areal( instrutor). Nessa situação, não teria ele ou, qualquer um de nós pilotos, nenhuma chance de fixar sua linha de visada em outra coisa a não ser no avião líder. O avião PIPER voava abaixo do caça da FAB, o que impossibilitaria ainda mais essa percepção. As a´reas operadas pelos caças são delimitadas previamente. Segundo testemunho dado pela escritora Raquel de Queiroz, amiga de Castello, ela teria sugerido que pedisse ao Cmte. Tinoco do Piper que sobrevoasse uma linha de torres de alta tensão do São Francisco( fato esse que poderia explicar a sua desatenção e entrada na área restrita de treinamento de caças. os equipamentos de detecção à época não tinham a precisão de hoje, portanto, não houve alerta do controle de voo para nenhuma das aeronaves envolvidas nesse trágico e lamentável acidente. O Ten Av. Malan era filho de um General amigo irmão de Castello e, segundo comenta-se, chorou muito ao ser avisado, após o pouso ( com segurança pois seu tip-tanque e da outra asa foram ejetados automaticamente), que a sua aeronave havia colidido com um avião de pequeno porte e que este transportava o ex.Presidente Castello Branco. nao gostaria de me envolver nas questões políticas , não obstante, a história obrigatoriamente deve ser escrita com fidelidade e, nesse caso, o País reserva uma pagina para o Presidente Castello, que não pediu para exercer esse cargo, mas atendeu a um chamamento do Exército à Pátria. Coronel Aviador R/R Paulo de Tarso M. Guerra

    ResponderExcluir
  44. Guerra, gostei do seu comentário bastante objetivo.
    Kurt J F Wolff (KJFW)

    ResponderExcluir

Gostou do artigo??? Detestou? Dê a sua opinião sobre o mesmo.